Pular para o conteúdo principal

Concurso Público para Professores de Educação Básica, com salário de R$ 4.013,68




Com o objetivo de contratar Professores, a Prefeitura Municipal de Jundiaí, no Estado de São Paulo anuncia a realização de novo Concurso Público.

Há vagas disponíveis nas funções de Professor de Educação Básica I, e Professor de Educação Básica II - Química. Em ambos os casos os Docentes vão cumprir jornada de 30h semanais, e receberão R$ 4.013,68 referente ao salário, além de R$ 304,00 e R$ 577,41, de auxílio transporte e alimentação respectivamente. Veja o Edital

As inscrições ficarão abertas exclusivamente através da Internet no site da empresa organizadora www.ibam-concursos.org.br, no período de 10 de novembro a 20 de dezembro de 2017. Não se esqueça de pagar a taxa no valor de R$ 95,00.

Este Concurso é composto de Provas Escritas Objetivas, de Produção Textual e de Títulos, sendo que as primeiras avaliações devem ocorrer no dia 21 de janeiro de 2018. Esse Concurso tem validade de dois anos, a contar da data de homologação, prorrogável por igual período, a juízo da Administração Municipal.


Comentários

  1. Licenciados em Ciências Biológicas podem concorrer a esse concurso?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cara Maiza, como seu comentário foi logo abaixo da minha pergunta, me sinto na obrigação de responde-lo, li o edital e ainda assim permaneci com dúvidas, por isso perguntei nesse espaço dedicado a perguntas e comentários, que em tese, deveriam ser relevantes.

      Excluir
    2. Parabéns pela resposta Fer Fricki! 👏👏👏👏👏

      Excluir
    3. Sim, em Professor de Educação Básica II - Química. Pois seu histórico escolar comprova especificações em Química.. sou professor em Minas Gerais formado em Bacharel em Química industrial, dou aula pelo estado através do CAT.- autorização para lecionar em 3 disciplina conforme meu histórico escolar são elas: Química Física e Matemática então me encaixo no Professor de Educação Básica II - Químical

      Excluir
    4. Às vezes leio os editais também e ficam algumas dúvidas. Sugiro que ligue no setor de concursos da prefeitura e converse com a pessoa responsável, perguntando se será considerada a carga horária do componente curricular, pois você teve essas aulas em sua formação, ou se a formação deverá ser em Química mesmo. Lembrando que no Estado de SP contratam bacharéis em diversas formações para suprir a demanda de professores porém, os municípios não procedem da mesma maneira.

      Excluir
  2. Tento so o magisterio e cursando pedagogia. Posso fazer ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem que ler o edital. Se não exigir o ensino superior... Possivelmente só o magistério basta.

      Excluir
    2. Só pode se já tiver licenciatura concluída em química pra Peb II e/ou Pedagogia para Peb I mas concluído. Pode se tiver outro superior qualquer..

      Excluir
    3. Analise quanto tempo falta para você concluir sua formação. Você pode fazer a prova porém, no momento em que for convocada deverá apresentar o diploma ou então o certificado de conclusão do curso, desde que esteja formada há menos de um ano.
      Acredito que possa ser uma boa porque a validade do concurso é de dois anos prorrogáveis por mais dois. E, na pior das hipóteses, você estará testando seus conhecimentos.

      Excluir
  3. Esta tudo no edital, é desse jeito que vocês querem ser professores??

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro "musicfreitas" ou nome que o valha, seu comentário é agressivo, irrelevante (não ajudou em nada) e poe em julgo o conhecimento alheio, falo por mim, li o edital e permaneci em dúvidas (por isso da pergunta em campo, acredito, bem adequado a isso), sugiro que apague tal comentário ou o refaça de maneira a ajudar, não atrapalhar, visto que aparentemente tens menos conhecimento do que quem fez as perguntas.

      Atenciosamente,
      Fernando Ferraz Fricki

      Excluir
    2. Comentário totalmente desnecessário o do musicfreitas e da Maiza. Bom, Fernando.. Eu fiquei em dúvida também, pois no meu caso sou formada em Letras e não sei se o meu curso se enquadra no que diz "curso normal superior".. espero eu que sim! Rs

      Excluir
    3. Não se enquadra. O normal superior é uma antiga formação a qual não é mais ofertada pelas IES. Hoje o curso se chama Pedagogia.

      Excluir
    4. Aonde eu CURTO o comentário do Fernando Ferraz Fricki?

      Excluir
  4. Ainda continuo com dúvidas ...estou cursando pedagogia ... Posso fazer o concurso?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. VC pode até fazer mas ao ser chamado no ato da posse tem que apresenta o diploma de pedagogia.

      Excluir
    2. Você pode fazer a prova de qualquer concurso porém, no momento em que for convocado deverá apresentar o diploma ou o certificado de conclusão do curso, que também é aceito desde que você seja formado há menos de um ano.

      Excluir
  5. Os dois cargos ofertados exigem formação em nível superior e pessoas formadas em Letras, meu caso, não se enquadram.

    ResponderExcluir
  6. Formados em licenciatura plena em História podem participar do concurso?

    ResponderExcluir
  7. Tento abrir o edital e tem uma mensagem que o conteudo nao pode ser visto


    ResponderExcluir
  8. Alguém já realizou a inscrição para peb 1? São pouquíssimas vagas que Pena

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Sugestões de palavras e expressões para uso em relatórios de alunos

      Escrever não depende de dom, mas de empenho, dedicação, compromisso, seriedade, desejo e crença na possibilidade de ter algo a dizer que vale a pena sobre seu aluno. É importante criticar e sugerir possíveis soluções. Escrever é um procedimento e, como tal, depende de exercitação. E encontrar a melhor maneira de expressar o comportamento de alguém não é fácil, exige muita cautela e perspicácia. Por isso segue sugestões de palavras e expressões para uso em relatórios de alunos. Coloque sempre as intervenções feitas para ações apresentadas, isso ressalta trabalho. SUGESTÕES DE PALAVRAS E EXPRESSÕES PARA USO EM RELATÓRIOS Você pensa Você escreve O aluno não sabe O aluno não adquiriu os conceitos, está em fase de aprendizado. Não tem limites Apresenta dificuldades de auto-regulação, pois… É nervoso Ainda não desenvolveu habilidades para convívio no ambiente escolar, pois

Aberto Concurso Público com 350 vagas para TODOS OS NÍVEIS salários de R$ 5.472,14

O Instituto Brasileiro de Gestão e Pesquisa (IBGP), publicou a realização de um novo Concurso Público que tem como  propósito  a admissão de 350 profissionais de níveis fundamental, médio/técnico e superior. A seleção é destinada a Prefeitura de Nova Serrana MG. Aos profissionais admitidos irão desempenhar funções em carga horária de 20 a 40 horas semanais ou escalas de 12x36 e contarão com salários de R$ 1.100,00 a R$ 5.472,14 ao mês. Oportunidades Ao todo serão preenchidas 350 vagas, distribuídas entre os cargos de:  Nível Fundamental Agente de Apoio da Assistência Social I - Faxineiro (4); Artífice de Obras e Serviços Públicos - Eletricista (3); Artífice de Obras e Serviços Públicos - Sepultador (2); Operador de Máquinas Pesadas e Equipamentos (1); Agente de Apoio da Assistência Social II - Cozinheira de Apoio da Assistência Social (1); Motorista de Apoio Administrativo - Motorista N1 (1); Motorista de Apoio Administrativo - Motorista N2 (2); Motorista de Apoio Assistência Socia

Entenda a diferença entre CEIs, EMEIs, CEMEI, CEIIs e EMEBS na Educação básica de SP

N a Educação Infantil, as crianças convivem e aprendem em ambientes adequados às suas necessidades e interesses, de acordo com sua faixa etária. Os educadores promovem a convivência e o relacionamento com outras crianças e adultos, desde o primeiro ano de vida, como forma de garantir o direito das crianças a uma educação integral e de boa qualidade social, que respeite as necessidades da pequena infância.  Na cidade de São Paulo, há cinco tipos de unidades públicas destinadas à educação infantil:  – CEIs -  Centros de Educação Infantil e Creches Conveniadas, para crianças de zero a 3 anos e 11 meses;  – EMEIs -  Escolas Municipais de Educação Infantil, que atendem crianças de 4 a 5 anos e 11 meses;  – CEMEI -  Centro Municipal de Educação Infantil, que recebe crianças de zero a 5 anos e 11 meses;  – CEIIs -  Centros de Educação Infantil Indígena, que integram os CECIs - Centros de Educação e Cultura Indígena, e trabalham com crianças de zero a 5 anos e 11 meses; e  – EME

10 Dicas para melhorar a fluência de leitura de seus alunos.

E studos comprovam que a ler ajuda a desenvolver o cérebro, ter melhor desempenho acadêmico e até mesmo a criar uma sociedade mais igualitária. Estimular crianças a tomar gosto pelos livros é uma missão importante de pais e educadores. Crie um ambiente confortável que estimule a leitura, no qual a criança tenha acesso aos livros sempre que quiser, com iluminação adequada. Organize as obras em locais agradáveis e de fácil acesso para que tenham facilidade em visualizar os livros e pegá-los sempre que quiserem. DICAS 1- A fluência crescente em seu aluno começa com a modelagem apropriada. Uma dica prática para usar no início é ler um livro juntos pelo menos uma vez ao dia. Sente-se com seus alunos e leia o texto com expressão e usando um ritmo natural. Ao ler as palavras em voz alta seu aluno adotará sua cadência e estilo. 2- A prática guiada é uma ferramenta extremamente eficaz para melhorar a fluidez da leitura e pode ser usada em conjunto com a dica de leitura mencionada anter

BNCC: Entenda como deve ser a transição da Educação Infantil para o Ensino Fundamental

A Base Nacional Comum Curricular (BNCC) é considerada fundamental para reduzir desigualdades na educação no Brasil e países desenvolvidos já organizam o ensino por meio de bases nacionais. E ela também estabelece como deve ser a transição entre essas duas etapas da Educação Básica. De acordo com a BNCC essa transição requer muita atenção, para que haja equilíbrio entre as mudanças introduzidas, garantindo integração e continuidade dos processos de aprendizagens das crianças, respeitando suas singularidades e as diferentes relações que elas estabelecem com os conhecimentos, assim como a natureza das mediações de cada etapa. Torna-se necessário estabelecer estratégias de acolhimento e adaptação tanto para as crianças quanto para os docentes, de modo que a nova etapa se construa com base no que a criança sabe e é capaz de fazer, em uma perspectiva de continuidade de seu percurso educativo. Para isso, as informações contidas em relatórios, portfólios ou outros registros que e