Pular para o conteúdo principal

Audiência Pública debate concursos públicos realizados pela Prefeitura




A professora de Educação Infantil da Prefeitura de São Paulo, Helen Bezerra, está preocupada com o concurso público para a contratação de diretores e supervisores escolares, aberto em 2015 e que vai expirar em abril de 2018. A Comissão de Administração Pública realizou nesta terça-feira (27/6) uma Audiência Pública para debater a política de pessoal e de concursos públicos adotada pela Prefeitura de São Paulo. Participaram integrantes da Secretaria Municipal de Gestão, inclusive, o secretário Paulo Uebel, além de diversos profissionais que passaram em concursos e aguardam o chamamento.
Paulo Uebel explicou que a Prefeitura gasta mais de 30% do orçamento com pessoal, entre ativos e inativos. Ressaltou que a crise econômica tem dificultado as ações da gestão João Doria, já que o orçamento previsto para 2017 é de cerca de R$54 bilhões, mas projeções feitas pela Secretaria de Finanças apontam que a Prefeitura vai arrecadar este ano R$47 bilhões, portanto, um déficit de R$7 bilhões. Segundo explicou o secretário, a arrecadação do 2º semestre não é a mesma do 1º semestre, por causa do IPTU, e esse déficit prejudica a contratação de concursados.
“Nós estamos cortando custos com cargos de comissão, cortando gastos com despesas operacionais, estamos cortando carros alugados para realmente poder ter recursos para nomear novos servidores”, disse.
Paulo Uebel informou também que nesses primeiros meses da gestão do prefeito João Doria, 2.778 pessoas que passaram em concursos foram nomeadas, e revelou que profissionais aprovados em mais de 10 concursos públicos realizados pela Prefeitura de São Paulo aguardam nomeação.
“Mais de 10 concursos foram realizados. São diversas áreas fundamentais para a administração, entre professores, guardas civis metropolitanos, assistentes sociais, profissionais da saúde, então estamos trabalhando com as Secretarias para poder reduzir gastos a fim de conseguir fazer essas nomeações.”
O secretário confirmou que até o final de agosto haverá um cronograma de nomeações de concursados. Paulo Uebel disse que um estudo está sendo realizado para viabilizar isso.
“Já conversamos com diversas secretarias, a ideia é que até o final de agosto tenhamos um cronograma dentro do possível das nomeações pelo menos para 2017, 2018, aquelas que forem possíveis.”
Em 2014 a Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social realizou um concurso público para preencher 377 vagas, mas só 1/3 das vagas foi preenchido. O assistente social Ricardo Castaldi disse que há necessidade de mais nomeações para dar conta do importante trabalho da Assistência Social na cidade de São Paulo.
“Nós temos espaços socioassistenciais, como os CRAs (Centro de Referência da Assistência Social), atendendo com uma capacidade muito inferior, com filas na porta, então essa é a nossa luta também por causa do SUAS (Sistema Único de Assistência Social). E nós pretendemos lutar contra essa precarização.”
“Existem cargos vagos hoje na rede municipal de ensino, 173 vagas de diretores e 47 de supervisores, e nós temos os aprovados no concurso em vigência e desejamos a convocação imediata desses concursados para o preenchimento das vagas.”
O vereador Antônio Donato (PT), que presidiu a Audiência Pública, questiona a incapacidade de investimento da Prefeitura de São Paulo em função da crise e diz que há recursos para a nomeação de concursados.
“Não queremos menosprezar as dificuldades econômicas do país, mas o fato é que a arrecadação em São Paulo cresceu 4% em relação ao ano passado. Como os concursos públicos já estavam previstos na Lei Orçamentária, nós acreditamos que existe sim a possibilidade de convocar todos os concursados.”
Antônio Donato informou que a Comissão de Administração Pública vai realizar uma nova Audiência Pública em agosto para voltar a debater a situação dos concursados aprovados para cargos da administração municipal que ainda não foram nomeados. 
Fonte: camara.sp.gov.br



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Sugestões de palavras e expressões para uso em relatórios de alunos

      Escrever não depende de dom, mas de empenho, dedicação, compromisso, seriedade, desejo e crença na possibilidade de ter algo a dizer que vale a pena sobre seu aluno. É importante criticar e sugerir possíveis soluções. Escrever é um procedimento e, como tal, depende de exercitação. E encontrar a melhor maneira de expressar o comportamento de alguém não é fácil, exige muita cautela e perspicácia. Por isso segue sugestões de palavras e expressões para uso em relatórios de alunos. Coloque sempre as intervenções feitas para ações apresentadas, isso ressalta trabalho. SUGESTÕES DE PALAVRAS E EXPRESSÕES PARA USO EM RELATÓRIOS Você pensa Você escreve O aluno não sabe O aluno não adquiriu os conceitos, está em fase de aprendizado. Não tem limites Apresenta dificuldades de auto-regulação, pois… É nervoso Ainda não desenvolveu habilidades para convívio no ambiente escolar, pois

Aberto Concurso Público com 350 vagas para TODOS OS NÍVEIS salários de R$ 5.472,14

O Instituto Brasileiro de Gestão e Pesquisa (IBGP), publicou a realização de um novo Concurso Público que tem como  propósito  a admissão de 350 profissionais de níveis fundamental, médio/técnico e superior. A seleção é destinada a Prefeitura de Nova Serrana MG. Aos profissionais admitidos irão desempenhar funções em carga horária de 20 a 40 horas semanais ou escalas de 12x36 e contarão com salários de R$ 1.100,00 a R$ 5.472,14 ao mês. Oportunidades Ao todo serão preenchidas 350 vagas, distribuídas entre os cargos de:  Nível Fundamental Agente de Apoio da Assistência Social I - Faxineiro (4); Artífice de Obras e Serviços Públicos - Eletricista (3); Artífice de Obras e Serviços Públicos - Sepultador (2); Operador de Máquinas Pesadas e Equipamentos (1); Agente de Apoio da Assistência Social II - Cozinheira de Apoio da Assistência Social (1); Motorista de Apoio Administrativo - Motorista N1 (1); Motorista de Apoio Administrativo - Motorista N2 (2); Motorista de Apoio Assistência Socia

Entenda a diferença entre CEIs, EMEIs, CEMEI, CEIIs e EMEBS na Educação básica de SP

N a Educação Infantil, as crianças convivem e aprendem em ambientes adequados às suas necessidades e interesses, de acordo com sua faixa etária. Os educadores promovem a convivência e o relacionamento com outras crianças e adultos, desde o primeiro ano de vida, como forma de garantir o direito das crianças a uma educação integral e de boa qualidade social, que respeite as necessidades da pequena infância.  Na cidade de São Paulo, há cinco tipos de unidades públicas destinadas à educação infantil:  – CEIs -  Centros de Educação Infantil e Creches Conveniadas, para crianças de zero a 3 anos e 11 meses;  – EMEIs -  Escolas Municipais de Educação Infantil, que atendem crianças de 4 a 5 anos e 11 meses;  – CEMEI -  Centro Municipal de Educação Infantil, que recebe crianças de zero a 5 anos e 11 meses;  – CEIIs -  Centros de Educação Infantil Indígena, que integram os CECIs - Centros de Educação e Cultura Indígena, e trabalham com crianças de zero a 5 anos e 11 meses; e  – EME

10 Dicas para melhorar a fluência de leitura de seus alunos.

E studos comprovam que a ler ajuda a desenvolver o cérebro, ter melhor desempenho acadêmico e até mesmo a criar uma sociedade mais igualitária. Estimular crianças a tomar gosto pelos livros é uma missão importante de pais e educadores. Crie um ambiente confortável que estimule a leitura, no qual a criança tenha acesso aos livros sempre que quiser, com iluminação adequada. Organize as obras em locais agradáveis e de fácil acesso para que tenham facilidade em visualizar os livros e pegá-los sempre que quiserem. DICAS 1- A fluência crescente em seu aluno começa com a modelagem apropriada. Uma dica prática para usar no início é ler um livro juntos pelo menos uma vez ao dia. Sente-se com seus alunos e leia o texto com expressão e usando um ritmo natural. Ao ler as palavras em voz alta seu aluno adotará sua cadência e estilo. 2- A prática guiada é uma ferramenta extremamente eficaz para melhorar a fluidez da leitura e pode ser usada em conjunto com a dica de leitura mencionada anter

BNCC: Entenda como deve ser a transição da Educação Infantil para o Ensino Fundamental

A Base Nacional Comum Curricular (BNCC) é considerada fundamental para reduzir desigualdades na educação no Brasil e países desenvolvidos já organizam o ensino por meio de bases nacionais. E ela também estabelece como deve ser a transição entre essas duas etapas da Educação Básica. De acordo com a BNCC essa transição requer muita atenção, para que haja equilíbrio entre as mudanças introduzidas, garantindo integração e continuidade dos processos de aprendizagens das crianças, respeitando suas singularidades e as diferentes relações que elas estabelecem com os conhecimentos, assim como a natureza das mediações de cada etapa. Torna-se necessário estabelecer estratégias de acolhimento e adaptação tanto para as crianças quanto para os docentes, de modo que a nova etapa se construa com base no que a criança sabe e é capaz de fazer, em uma perspectiva de continuidade de seu percurso educativo. Para isso, as informações contidas em relatórios, portfólios ou outros registros que e