quarta-feira, 6 de dezembro de 2017

Professores se revoltam ao perderem concurso público




Muitos professores que se inscreveram para o concurso público da rede municipal de ensino de Itaquaquecetuba não conseguiram fazer a prova, agendada para o último domingo (3). Os candidatos disseram que o horário da prova mudou várias vezes na semana do concurso, inclusive no próprio domingo.

A Prefeitura de Itaquaquecetuba informou que "não recebeu nenhuma reclamação referente ao concurso. A administração questionou a empresa Zambini que afirmou que todas as informações foram publicadas e os avisos constavam em seu site, bem como, emails e mensagens nos celulares foram enviadas aos cadastrados pelos candidatos no momento das inscrições."

Muitos encontraram os portões fechados na hora de fazer a prova. Um dos locais para prova era a Fatec de Itaquaquecetuba. Parte dos candidatos ao cargo de professor da rede municipal foi chamada para o período da manhã, já Márcia da Silva Francisco recebeu a convocação para fazer a prova às 13h30.

Ao chegar ao local de prova, ela soube por um funcionário que não haveria mais prova naquele horário. “Eu fui perguntar diretamente para ele e não me passaram o motivo porque ele era funcionário da Fatec. A gente registrou um boletim de ocorrência.” Ela e outros candidatos que não conseguiram prestar o concurso registraram um boletim de ocorrência. A decepção foi ainda maior porque muitos dos candidatos já tinham prestado outro concurso na cidade neste ano.

Em agosto, a pedido do Ministério Público, a Justiça de Itaquaquecetuba suspendeu o concurso público realizado em abril para contratação de 193 profissionais na área da educação. Na época, o motivo da suspensão não foi divulgado e a prefeitura comunicou que iria colaborar com as informações pedidas pela Justiça. “Eu fiquei muito triste por não ter dado certo por erro deles mesmo e agora pela segunda vez. Eu acho que eles fizeram isso para ninguém comparecer mesmo. A maioria não compareceu.”

Roberta dos Santos também está revoltada. Ela mora em Mogi das Cruzes e também não conseguiu fazer a prova. Roberta tem uma foto que, segundo ela, é de uma lista que estava no site do Instituto Zambini no domingo com nomes de candidatos e o horário da prova, às 13h30.


Segundo ela, as informações mudaram várias vezes. “Na semana do concurso eles alteraram as datas e os horários. Primeiro a minha prova seria às 7h30, depois a prova foi para 13h30 e eu fiquei sabendo através de uma colega minha que teve acesso ao site. No dia da prova, minha colega avisou que tinha mudado de novo para às 7h30. Mesmo que eu olhasse, não ia ter como chegar em uma escola de difícil acesso e eu perdi a prova. De tarde, eu fui até lá e não tinha ninguém para orientar as cerca de 50 pessoas que estavam lá”, conta. Ela também gravou um vídeo em frente à escola que seria o local de prova e mostrou duas outras candidatas indignadas com a situação.

No site do Instituto Zambini, nesta manhã, ainda era possível ver o aviso sobre a mudança para horário único da prova. Assim como outros candidatos prejudicados, Roberta gostaria de saber por que a informação foi publicada em cima da hora. Ela disse que tentou ligar para o realizador do concurso, mas ainda não conseguiu falar com ninguém. A Prefeitura de Itaquaquecetuba ainda não se pronunciou sobre o caso.
Fonte: g1.globo.com/sp





4 comentários:

  1. Outro fato foi marcar a prova para o mesmo dia do Enade, isso eliminou muitos candidatos do concurso...

    ResponderExcluir
  2. Mentira essa matéria. As mudanças foram publicadas uma semana antes. O candidato tem por obrigação acompanhar as mudanças pelo site.

    ResponderExcluir
  3. Mentira essa matéria. As mudanças foram publicadas uma semana antes. O candidato tem por obrigação acompanhar as mudanças pelo site.

    ResponderExcluir
  4. Mentira!! A banca avisou com uma semana de antecedência, tanto q só uns gatos pingados não fizeram a prova, além disso a banca pode fazer alterações até 72 horas antes da prova!

    ResponderExcluir

CURTA NOSSA PÁGINA !!!


Mais Lidas