segunda-feira, 10 de setembro de 2018

Pós-atentado, Bolsonaro sobe de 26% para 30% dos votos e lidera isolado; diz pesquisa





Na primeira pesquisa realizada após o atentado sofrido por Jair Bolsonaro (PSL), realizada pela FSB/BTGPactual, ele já subiu de 26% para 30%. E esse aumento aparece tanto no cenário espontâneo quanto estimulado. Ciro Gomes se consolidou no 2º lugar (manteve seus 12%), aumentando suas chances de ir para um possível 2° turno, enquanto que Marina Silva despencou (queda de 11% para 8%) nas intenções de voto.

Veja a pesquisa completa no site da FSB/BTGPactual aqui.

Depois do choque do atentado contra o deputado Jair Bolsonaro, cuja recuperação tem felizmente superado as expectativas dos médicos, as pesquisas Datafolha (hoje) e Ibope também deixarão claro que, muito provavelmente, Bolsonaro consolida seu caminho rumo ao Planalto.

Tudo indica que devido ao atentado, a rejeição a seu nome tenha caído, principal empecilho a uma vitória no segundo turno. Antes, ele entraria na disputa final como azarão; agora, é provável que entre como favorito.

O atentado tornou-o ainda mais conhecido em todo o Brasil. A principal deficiência de sua campanha, falta de tempo no horário eleitoral gratuito, passou a ser compensada pela exibição diuturna de seu nome no noticiário nacional



A situação de Ciro e Marina é parecida. Para eles, mais importante que atacar Bolsonaro, é impedir a transferência de votos de Lula a Haddad. Ciro tem obtido maior sucesso. O candidato que mais se complicou é Geraldo Alckmin, pois agora não pode mais atacar Bolsonaro como estratégia para atrair votos, pelo menos não por agora.

É importante lembrar que o PT continua a ser o partido que desperta maior simpatia entre os brasileiros (é mencionado como preferido por 24%, de acordo com a última sondagem Datafolha divulgada no mês passado). Assim a campanha de Haddad não precisa atacar Bolsonaro.

A pesquisa parece deixar claro que a vitória de Bolsonaro depende mais dele do que de seus adversários. Mas é importante lembrar que na politica um erro ou acerto nos últimos dias de campanha pode mudar tudo nas urnas, por isso ainda podemos esperar muitas emoções.
Fonte: Com informações do g1.globo.com




0 comentários:

Postar um comentário

CURTA NOSSA PÁGINA !!!


Mais Lidas